Em momentos de crise, seja inovador: crie

Estamos passando por um momento econômico e político delicado no país. O desemprego assola a população, enquanto o país registra crescimento negativo. O setor da Saúde sente os efeitos. Centenas de milhares de demissões acabam reduzindo o número de beneficiários de planos de saúde. Alguns acabam migrando para o sistema público (SUS), que já é caótico e, com o corte de verbas e aumento de demanda, só tende a piorar. Do lado da saúde suplementar, a receita das operadoras vem reduzindo, em consequência do menor número de beneficiários, o que também diminui o total de pacientes nos prestadores de serviços e afeta negativamente o resultado.

O cenário preocupa, mas esses momentos são ótimos para colocar em prática os projetos voltados à redução de custos e à eliminação de desperdício e, até mesmo, desenvolver serviços inovadores, a fim de atrair novos clientes e gerar novas e promissoras fontes de receita. É preciso pensar e colocar em prática algumas mudanças ousadas, utilizar adequadamente a estrutura da instituição. Existem espaços ociosos? Em algum período, há consultório sem produção, fechado, por ser exclusivo? Há profissionais de apoio sem atividade? É possível remanejá-los ou utilizá-los em outros setores? O mais indicado a fazer nesses momentos é gastar corretamente, direcionar todas as forças para o melhor uso de todos os recursos, sejam físicos, humanos ou financeiros, e buscar a melhor gestão econômico-financeira da instituição.

Conhecer os números e tomar decisões com assertividade é fundamental em situações de crise. Não há espaço para errar. Por isso, é preciso saber como anda o caixa da empresa, desenvolver um bom planejamento, definir onde e quando gastar, o quê e em que momento comprar. É necessário ter ciência dos resultados e da margem de contribuição das operadoras e profissionais, saber quais produtos e serviços são mais e menos rentáveis e, dessa forma, tomar decisões que permitam reduzir custos e focar nos itens que trazem retorno.

Os problemas podem bater a nossa porta, mas o importante é termos informações, dados precisos e confiáveis que nos ajudem a tomar decisões assertivas e rápidas para superá-los. Os gestores das organizações e empreendedores precisam ser sempre otimistas, fortes, dedicados e perseverantes. Nesse momento, enquanto alguns sairão chamuscados, outros terão o mérito de sair fortalecidos. O importante é acreditar, confiar em si mesmo e em sua equipe e sempre ir em frente.

Para um cenário como esse, acho propícia uma simples frase, que considero ter um forte impacto e uso muito: “Tire o s da crise. Crie”.

 

Eduardo Regonha é Diretor executivo da XHL Consultoria; doutor em Ciências – Custos em Oftalmologia pela EPM-Unifesp; especialista em Administração Hospitalar pela FGV-SP. Atividades acadêmicas atuais: coordenador do curso de MBA em Administração Hospitalar pela Fundação Unimed e professor de Custos em Saúde



Categorias:Artigos

Tags:, , , , , ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.