Mídia e Medicina: união em prol da saúde

Sob o foco da câmera, nas ondas do rádio ou por meio dos textos veiculados pela mídia para toda a população, a Medicina pode expandir ainda mais seu alcance na tarefa de educar o paciente na melhoria de sua saúde

 Por Vinícius Côrrea

O ginecologista José Bento fala sobre sua experiência na TV e como a exposição dos profissionais da área na mídia pode ser benéfica

“Eu acho que a televisão, assim como a internet, acaba melhorando o atendimento médico. Você acaba fazendo com que o paciente se conheça melhor”

Educar o paciente é uma tarefa que vai além da consulta médica no consultório e dos programas de saúde pública. Outro canal de conteúdo para a sociedade, a mídia não proporciona apenas o entretenimento. Sua função também é levar informações relevantes para a população, dentre as quais a educação em saúde e bem-estar. Assim, destaca-se a importância da presença de profissionais de saúde em programas de rádio, televisão, artigos em mídia impressa e digital.

Nesta entrevista, o ginecologista José Bento fala sobre sua experiência na TV e como a exposição dos profissionais da área na mídia pode ser benéfica.

 

DOC Academy: O senhor poderia contar-nos de que forma começou sua participação na mídia, oferecendo orientações médicas ao público?

José Bento: Há uns 25 anos, fui convidado pela TV Record para participar de um programa chamado Note e Anote, para responder a perguntas sobre Ginecologia. Foi um período em que o médico na televisão era muito mal visto, tanto pela classe médica quanto pela população em geral. No Bem Estar, da Rede Globo, entrei logo que o programa começou. Fui convidado para falar sobre endometriose, bioma e ouros assuntos. Ao fim do programa, a diretora me pediu para integrar o hall dos consultores de saúde da mulher. Estou lá desde então.

 

DOC Academy: Qual impacto o senhor acredita que a educação via mídia pode ter, de fato, para a população em geral?

JB: Às vezes, com poucas orientações, consegue-se levar um benefício muito grande para a população em geral. Quanto mais conhecimento for difundido, e mais pessoas ouvirem o que o médico tem a dizer, a sociedade ganha como um todo.

 

DOC Academy: Falando em repercussão, como o senhor percebe o retorno do público sobre as dicas transmitidas no programa?

JB: Muitas pessoas que me encontram na rua agradecem pelas orientações. Com a informação médica na mídia, é possível, dentro de casa, compreender como diversos procedimentos acontecem.

 

DOC Academy: A televisão tem uma linguagem própria, que precisa se tornar o mais popular possível para alcançar o maior número de pessoas. Como é traduzir essa linguagem técnica usada nos consultórios, mas que, na TV, precisa ser expressa de forma diferente?

JB: O médico precisa saber se comunicar, não só pela televisão, mas com o paciente. Não adianta falar aqueles termos bonitos se o paciente não souber do que se trata. É necessário saber como é o tratamento, como é a doença que o paciente tem e informá-lo de forma clara, sucinta e objetiva.

 

DOC Academy: Há quem critique a exposição de médicos na mídia por acreditar que tais informações inibem as pessoas de buscarem um médico, porque elas irão se automedicar. O senhor acredita nessa possibilidade?

JB: Eu acho que a televisão, assim como a internet, acaba melhorando o atendimento médico. Você acaba fazendo com que o paciente se conheça melhor e entenda mais aquilo que está sentindo ou sua patologia, e isso pode ajudar o médico a ter um índice de cura melhor e facilita a orientação do paciente.

 

DOC Academy: E qual recado o senhor daria à classe médica em relação à mídia e a educação do paciente?

JB: Primeiro, o médico não pode parar de estudar. Hoje, com a facilidade que a população tem de acesso aos conhecimentos médicos, se ele parar, o próprio paciente vai perceber e cobrar. E segundo, se for convidado a participar de algum programa de TV, que se prepare, porque o papel do médico é difundir a saúde e, para que haja essa difusão, não existe lugar melhor do que as mídias.

 

Por Vinícius Corrêa com colaboração de 



Categorias:Entrevistas, Medicina & Tecnologia

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.