Marketing Médico: Gerando valor pelas redes sociais

Por Bruno Garcia

Marketing Médico: Gerando valor pelas redes sociais

Com uma abordagem profissional, os resultados tendem a ser bem interessantes, fazendo com que o processo educativo gerado pelo médico chegue a um número maior de pessoas.

As plataformas digitais oferecem recursos que podem ser bem interessantes para valorizar e sedimentar a credibilidade do profissional diante de seu público. Mais do que expor o consultório e/ou clínica, o médico pode aproveitar as ferramentas para construir um diálogo mais efetivo, desde que respeitando as resoluções e normas do Conselho Federal de Medicina (CFM).

Na opinião de especialistas ouvidos por nossa equipe, o maior papel das plataformas sociais não está em fazer qualquer tipo de promoção dos serviços que o profissional de saúde oferece, mas em educar seu público. Uma excelente maneira de usar os mecanismos digitais é oferecer conteúdo aos pacientes, criando um diálogo mais forte com eles, além de passar informações relevantes e desmistificar boatos que possam induzir o indivíduo ao erro, com promessas de curas ou relatos de contraindicações ou riscos não embasados pela ciência. O médico pode usar as redes para fornecer informações educativas, genéricas, relacionadas a práticas saudáveis ou a ações preventivas. Deve informar sobre riscos e benefícios de tratamentos, mas deixando sempre bem claro que cada caso é único e que recomendações dirigidas a uns podem não ser adequadas para outros.

Oferecer informações relevantes e de qualidade é algo que pode ser feito em qualquer canal, desde um site até as redes mais atuais, como a plataforma de fotos Instagram ou, ainda, o consagrado portal de vídeos YouTube. Com uma abordagem profissional, os resultados tendem a ser bem interessantes, fazendo com que o processo educativo gerado pelo médico chegue a um número maior de pessoas. As redes ampliam a visibilidade e reforçam junto à população o papel social exercido pelos profissionais.

Um elemento crucial para o bom uso das redes é separar perfis pessoais e profissionais. O ideal é possuir um perfil de caráter exclusivamente médico, de forma que os conteúdos não se misturem: as postagens pessoais continuam preservadas, enquanto o conteúdo formatado para ser entregue aos pacientes segue um caminho específico, o que pode evitar ao profissional algumas dores de cabeça.

Respeitando as regras do CFM e seguindo as dicas apresentadas, o médico certamente terá excelentes resultados na construção de um relacionamento sólido com seus pacientes.



Categorias:Medicina & Tecnologia

Tags:, ,

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.