Por que o marketing é importante para o médico?

Médicos precisam destacar suas clínicas e consultórios, torná-los atrativos aos pacientes, fazer com que sejam lembrados no momento da busca por um profissional da área

Médicos precisam destacar suas clínicas e consultórios, torná-los atrativos aos pacientes, fazer com que sejam lembrados no momento da busca por um profissional da área

A área da Saúde tem passado por várias situações que, tempos atrás, seriam verdadeiros absurdos: a inclusão de médicos estrangeiros no país, um sem fim de aplicativos (a grande maioria veio para corroborar com a rotina médica), planos de saúde com uma voracidade atroz e tributação cada vez maior. Ainda, há grande rotatividade de equipe de trabalho, o chamado turnover, que também já é uma realidade junto às secretárias e recepcionistas. Muitas migram para outros segmentos, vão cuidar dos filhos, enfim, fazer outras coisas que não trabalhar em consultório. Sem contar a grande inserção de profissionais no mercado, a cada ano, em busca do seu lugar ao sol.

Dado esse cenário, os médicos precisam destacar suas clínicas e consultórios, torná-los atrativos aos pacientes, fazer com que sejam lembrados no momento da busca por um profissional da área. É quando se percebe que o marketing médico já é uma realidade estabelecida. Hoje, não basta mais estar muito bem preparado tecnicamente para atender os pacientes, é preciso que o mercado saiba disso. Um dos pontos de partida é a elaboração da marca, um símbolo exclusivo (a logomarca), que seja compatível com a especialidade, perfil do médico e, principalmente, de fácil assimilação pelo público-alvo. O marketing, antes impensado na área médica, é, hoje, um dos maiores diferenciais na estratégia dos hospitais, clínicas e consultórios. É bom lembrar que publicidade e propaganda não são marketing. Embora estejam conectados, o marketing é muito mais abrangente: é responsável por desenvolver ações para se chegar até os pacientes, entender e satisfazer suas necessidades e anseios. Já a publicidade é a disseminação de uma ideia, divulgação do serviço médico, por meio da propaganda (anúncios), seja na internet, revistas etc.

Por isso, a importância do marketing na área médica é grande, pois, de forma ética e clara, é a mola propulsora que irá posicionar a marca do médico no mercado, comunicando seus serviços de maneira correta a seu público-alvo previamente identificado. Para que possamos ter sucesso com o marketing, é preciso desenvolver um planejamento estratégico, com objetivos claros e mensuráveis, além de uma linha de comunicação com os pacientes que seja compreensível para todos. Atualmente, há muitas agências especializadas em marketing médico, que auxiliam os profissionais na inserção no mercado, no desenvolvimento de identidade visual etc. É preciso saber explorar melhor esses serviços e dar mais um passo rumo à evolução no segmento dos serviços médicos. Cada erro estratégico, além da má utilização de um recurso financeiro, também é um desperdício de tempo, de posicionamento no mercado. É preciso começarmos a criar a cultura de que:

1) O médico é um empreendedor nato. A maioria deles vai montar sua clínica ou consultório;

2) Invariavelmente, seu colega é seu concorrente, o que torna as coisas um pouco mais complicadas. Muitos, inclusive, não querem se indispor e não ficam à vontade na divulgação de seus serviços de forma tão assertiva, mas é preciso ser mais incisivo, pois outros o farão, captando pacientes que poderiam ser desse médico indeciso;

3) Sim, o consultório é uma empresa! Custos fixos, variáveis, recursos humanos, impostos… Ainda tem alguma dúvida? E como qualquer empresa, precisa obter lucro; e, por fim,

4) Se o consultório é uma empresa, o paciente é um cliente. E deve ser tratado como tal. Procure refletir sobre a seguinte pergunta: Você seria cliente do seu próprio consultório? O que você mudaria? As respostas que virão devem se tornar um cronograma de ações a serem implantadas com urgência, pois, o seu “cliente” real pode estar, neste momento, publicando essas mesmas percepções em suas redes sociais. Hoje, existem muitos sites específicos para que clientes insatisfeitos expressem suas más experiências ou, ao menos, suas percepções sobre esse ou aquele atendimento, seja em empresas de produtos, serviços etc. Sites como esses podem ser decisivos na hora de o paciente optar por um ou por outro médico. É praticamente um “boca a boca” virtual, onde, rapidamente, pode-se prejudicar a reputação conquistada há anos e, muitas vezes, o médico nem ficar sabendo do ocorrido.

Por essas e outras, o marketing é tão importante para a área médica. Pesquisar, inovar no atendimento, monitorar as redes sociais, desenvolver um website e posicionar sua marca do mercado são novas atribuições da clínicas e consultórios. É um caminho sem volta, porém, os médicos não precisam trilhá-lo sozinhos.

Márcio Luiz Lima de Souza é administrador com especialização em Marketing; atuou nas áreas de relacionamento com o cliente e planejamento estratégico de marketing em grandes empresas nacionais e multinacionais; diretor da ProxyMed Gestão e Marketing Médico



Categorias:Artigos, Carreira Médica, Marketing Médico

Tags:, , ,

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.