Como o Facebook pode ajudar na carreira médica

Médicos analisando resultados do Facebook
A rede social mais popular do mundo é uma poderosa ferramenta de divulgação para que o médico ganhe relevância digital e atraia novos pacientes

Criado em 2004, inicialmente para conectar pessoas, o Facebook também se tornou uma poderosa ferramenta de divulgação de marcas, produtos e serviços. E isso vale também para a carreira médica.


Quando falamos de rede social, a primeira que vem à cabeça de muita gente é o Facebook. Com a maior base de usuários entre todas as redes, a mídia social fundada por Mark Zuckerberg dominou a internet no início da década passada e transformou a interação entre indivíduos ao redor do mundo.

A mídia social vem evoluindo cada vez mais nesse sentido, facilitando a criação de páginas e simplificando os processos de promoção de conteúdo. Observando isso, é possível afirmar que os médicos não podem ficar fora dessa tendência mundial. Afinal, todo consultório, clínica ou hospital é um negócio e precisa ser divulgado corretamente para atrair novos clientes e aumentar os lucros.

Perfil ou página no Facebook?

Para facilitar os objetivos de cada pessoa ou empresa no Facebook, a rede segmentou as funcionalidades entre perfil e página. Coordenador de marketing da agência On Marketing Digital, Rafael Braz explica a diferença entre as duas modalidades da mídia. “O perfil é uma página pessoal, na qual o usuário define os amigos que terão em sua rede, as comunidades que participa, publica a sua rotina, seus acontecimentos de vida, entre outras informações.

A página, por sua vez, é usada pelo usuário que quer divulgar sua marca ou de terceiros, propagando conteúdos públicos com o objetivo de captar clientes para o seu negócio por meio das curtidas e envolvimento nas publicações”, elucida.

Rafael, contudo, lembra que toda página deve estar atrelada a um perfil, isto é, o primeiro passo para construir um espaço de divulgação do negócio no Facebook é a criação dessa página pessoal. “No Facebook, para você ter uma página, é necessário ter um perfil como administrador dela”, esclarece.

Além disso, o Facebook não permite que a divulgação do conteúdo profissional seja no perfil, tornando o usuário passível de punição. “O Facebook não orienta que o perfil seja usado para esse tipo de conteúdo, já que as funcionalidades para a divulgação do seu negócio serão limitadas.

Por exemplo, no perfil, não é possível criar certos posts que a página já permite, além da questão do patrocínio, que, hoje em dia, é muito recomendado a todas as páginas. Caso o Facebook identifique um perfil de empresa ativo, ele pode ser desativado”, alerta.

Relevância digital

Não há dúvidas que um bom posicionamento digital pode render frutos ao médico. No momento de marcar a consulta, o paciente busca informações diversas sobre o profissional com conhecidos e também nas redes sociais.

A importância da presença médica nas mídias digitais (Foto: Shutterstock )

Para Rafael, a presença no meio digital é fundamental na hora de escolher o especialista. “O médico não deve estar apenas no Facebook, mas também no LinkedIn, Instagram e em outras redes dedicadas à área médica, como o Doctoralia. Hoje, antes de marcarmos uma consulta, já jogamos o nome do médico no Google para saber mais sobre a avaliação dele por outros pacientes. Ou seja, não estar presente nas redes não cria, para o médico, uma relevância digital, que é importante e considerada essencial no momento de escolha do paciente”, ressalta.

Conteúdo de valor

Atrelado a tudo isso, ainda existe a necessidade de fornecer um conteúdo de qualidade para o paciente. Ele precisa identificar os valores necessários para interagir com as publicações e seguir a página em questão. Pensando nisso, Rafael exemplifica alguns modelos que podem ser utilizados pelo médico na hora de produzir temas relevantes.

“Foque em conteúdos explicativos sobre temas da área. Mostre a interação com pacientes, depoimentos, tire dúvidas comuns que costumam surgir no consultório. Dê preferência para que esses conteúdos sejam em vídeos e fotos. O usuário atualmente está ocupado demais para ler artigos e grandes textos. Precisa ser rápido e direto”, recomenda.

LEIA TAMBÉM: O futuro da Medicina: o que esperar nos próximos 10 anos

Avanço na carreira

Com uma equipe especializada para administrar sua página no Facebook, o angiologista e cirurgião vascular Diogo Di Battista decidiu investir no marketing digital para ampliar o alcance entre os seus pacientes. “A página no Facebook, para mim, foi uma forma de conseguir me comunicar de maneira mais ampla com meus pacientes e até futuros pacientes, lembrando sempre que as mídias sociais não substituem a consulta médica”, explica.

Apesar da equipe por trás do conteúdo da página, Diogo ajuda a planejar os temas e tudo que será publicado no espaço virtual. De acordo com ele, o atendimento dos pacientes continua sendo prioridade. “As minhas publicações são planejadas em conjunto com uma equipe, uma vez que fazer tudo sozinho me demandaria um tempo que eu prefiro passar atendendo e cuidando dos meus pacientes”, destaca.

Embora exija tempo e investimento financeiro, Diogo recomenda a todos os seus colegas de Medicina o investimento em marketing digital, especialmente no Facebook. “É uma ferramenta que, se usada com respeito e sabedoria, pode trazer retorno para o médico e paciente”, alerta.

O retorno já é notável, de acordo com o médico. Para Diogo, a rede social ajuda tanto na parte da educação do paciente quanto na conquista de novos clientes. “O Facebook me ajuda na conscientização de pacientes antigos para outros problemas na área de cirurgia vascular, assim como na procura de novos pacientes pelo meu serviço”, ressalta.



Categorias:Carreira Médica, Entrevistas, Medicina & Tecnologia, Sem categoria

Tags:, , , , ,

Deixe aqui seu comentário! :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.