Carreira médica e conhecimentos de gestão: uma realidade

O médico deve ter conhecimentos de gestão e obter atualização constante com as novas tecnologias.

tecnologia-gestao-medicina

Foi-se o tempo em que os médicos se preocupavam apenas em decidir em qual região do país iriam atender e, posteriormente, se criariam uma empresa ou iniciariam sua carreira como pessoa física. O mundo dos negócios na área da Saúde está mudando e fica cada vez mais clara a necessidade de, no mínimo, um estudo de mercado antes de escolher qual será o local para instalações do tão sonhado consultório.

Acredito que estamos em uma fase de transição, com muita colaboração da tecnologia, seja em equipamentos médicos, em softwares de gestão e no próprio marketing, cada vez mais digital – fase que, finalmente, quebrou o paradigma na Saúde, que consistia em não ver o consultório, a clínica, como um negócio.

Como fiquei surpreso quando comecei a ser convidado para falar sobre gestão e marketing médico nas faculdades de Medicina, a pedido dos próprios alunos! Eles estão cada vez mais “antenados” e conscientes de que não há espaço para testes quando o assunto é empreendedorismo, envolvendo suas próprias carreiras.

É um passo a mais na evolução da gestão na saúde no Brasil, onde novas demandas em consultório levarão a novos produtos e serviços em busca da excelência no atendimento, otimização de recursos e, consequentemente, o lucro.

LEIA TAMBÉM4 motivos para cuidar das finanças do consultório

Hoje em dia, o médico sabe que ele não tem sua marca; ele é sua própria marca e sua equipe reflete seus serviços. O público-alvo percebe os benefícios e diferenciais – sejam na inovação, tecnologia dos equipamentos, tratamento, atendimento – e formam uma opinião com a soma desses itens mencionados.

Trata-se de um desafio a mais em uma carreira que não permite meio-termo, onde cada matéria estudada, cada congresso ou pesquisa significa uma etapa vencida na evolução da saúde e na qualidade de vida humana.

Ter uma boa gestão, atualmente, já não é questão de simples organização. Pode ser um diferencial competitivo saber como andam as finanças, saber manter talentos e não perdê-los para concorrência, relacionar-se de forma ética e construtiva com sua carteira de pacientes. Só uma gestão efetiva pode trazer informações estratégicas e poderá auxiliar o médico a tomar decisões cruciais para o bom andamento do consultório.

LEIA TAMBÉMBurnout dos médicos e o papel da tecnologia

Para isso, não bastam relatórios, é preciso interpretá-los. Não basta um bom software, é preciso saber extrair dele os dados que gerarão informações importantes. Não basta uma equipe de atendimento com um belo uniforme e computador ultramoderno se não estiverem preparadas e capacitadas para acolher os pacientes.

Enfim, o médico como empresário precisa cercar-se de tecnologia e de pessoas capazes de conduzir o negócio, deve estar sempre de olho nos números do consultório. A vantagem é que, hoje em dia, há vários mecanismos auxiliares na gestão, além, claro, de cursos específicos que ajudem nessa trajetória.

É preciso equilibrar as atenções entre o marketing e a eficiência no atendimento (não adianta investir na divulgação quando não há equipe que atenda satisfatoriamente), equipamentos de ponta e a real utilidade (qual é a relação custo-benefício? Quantos pacientes realmente serão beneficiados com o equipamento, mesmo percebendo ou não? Qual é a taxa de retorno do investimento?).

Dúvidas que vão surgindo ao longo do caminho, mas, como citado no começo do artigo, muitos médicos recém-formados e que ainda estão em formação já perceberam a importância de saber.

É importante salientar que, como negócio, o cliente precisa ser atendido satisfatoriamente, ter seu problema solucionado ou amenizado, mas é preciso fazer a gestão do negócio para que o médico, como proprietário, identifique se é algo vantajoso para si. Não é só gerir a empresa para atender melhor, mas também é sobre poder constatar com números se o empenho está tendo o resultado esperado.

LEIA TAMBÉMGlosa Médica: como evitá-las?

Falamos tanto sobre qualidade de vida do paciente hoje em dia, do quão importante é manter estrutura, marketing, valor percebido etc., que, por vezes, nos esquecemos de focar na qualidade de vida do médico, como dono de um negócio que cuida de pessoas.

De uma certa maneira, toda essa gestão irá auxiliá-lo em poder pensar em seu presente e futuro com mais tranquilidade, definindo estratégias profissionais e pessoais. É preciso que a pessoa física esteja em harmonia com o Médico S.A. Dessa forma, todos sairão ganhando.

Marcio-souza

Márcio Luiz Lima de Souza é administrador com especialização em Marketing; atuou nas áreas de relacionamento com o cliente e planejamento estratégico de marketing em grandes empresas nacionais e multinacionais; diretor da ProxyMed Gestão e Marketing Médico.



Categorias:Artigos, Carreira Médica, Medicina & Tecnologia, Sem categoria

Tags:, , , ,

1 resposta

  1. Gostei muito do texto. Muito atual e tende a uma reflexão importante nos cursos de medicina e programas de residência. Queria ter o contato de e-mail, se possível, do autor do texto, Márcio. Obrigada

Deixe aqui seu comentário! :)

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.